sábado, 18 de março de 2017

DR. CARLOS CÉSAR MARTINS PARTICIPA DE ENCONTRO COM PRODUTORES RURAIS DA ZONA NORTE AO LADO DE AUTORIDADES DE NOSSA REPÚBLICA

Aconteceu na manhã desta sexta feira dia 17 de março de 2017 na sede da AABB de Sobral o Encontro com Produtores Rurais da Zona Norte cearense promovido pelo Banco do Nordeste Brasil para apresentar a Lei 13.340, que autoriza a liquidação e a renegociação de dividas de créditos rural e o Cartão  FNE Agronegócio ( Investimento e Custeio) do BNB.  Naquela oportunidade o líder comunitário Dr. Carlos César Martins funcionários de carreira da Receita federal  este presente ao lado das seguintes autoridade de nossa República:  Presidente do Senado, Senador Eunício Oliveira e do Dep. Federal  Moses Rodrigues e do Diretor Regional do DNOCS no Ceará Dr. Francisco Hermenegildo Sousa Neto. Este foi mais um encontro que proporcionou o fortalecimento de projetos para os ruralistas da Zona Norte cearense. Estas e outras no diário de noticia do Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante membro correspondente do Jornal  Circular da cidade de Sobral-Ceará.

sexta-feira, 17 de março de 2017

GENEALOGISTA ASSIS ARRUDA CONSEGUE CIDADANIA PORTUGUESA PARA DESCENDENTES DE JUDEUS SEFARDISTAS DE FAMÍLIAS DE SOBRAL



Com 45 livros publicados sobre genealogia no Ceará, com foco nas raízes portuguesas de famílias radicadas na região do Vale do Acaraú, ao longo de 45 anos de pesquisa, Assis Arruda nunca havia imaginado que seus estudos viessem a render bons dividendos. O amor que dedicou ao estudo do tema desde a época de estudante de pré-vestibular, pelo contrário, gerou despesa, uma vez que teve de pagar do próprio bolso a publicação de dez livros em papel. Os outros estão disponíveis na Internet. Assis Arruda estudou, inicialmente, a ramificação ancestral até a sexta geração da grande maioria das famílias de Sobral como Ferreira da Ponte, Gomes Parente, Ribeiro da Silva, Ferreira Gomes, Frotas, Linhares, Arruda e outras. Conforme relata, este passado faz parte da história de Sobral, povoada por 120 famílias portuguesas, algumas com certeza de origem judaica vindas de Portugal como cristãos novos. "Sobral é portuguesa com certeza", afirma o genealogista ao citar o bordão de um historiador. Hoje, os estudos de Assis Arruda avançaram até a décima-quinta geração - meados do século XVI -, o que lhe proporciona segurança para vincular  as famílias da Ribeira do Acaraú aos judeus sefarditas. Os descendentes de modo direto ou indireto de judeus sefardistas, que foram obrigados a deixar Portugal por motivo da Inquisição, agora têm direito à nacionalidade portuguesa, informa Assis Arruda. O Parlamento de Portugal aprovou em 27 de fevereiro de 2015 o Decreto-Lei 30-A, que entrou em vigor em 1º de março do mesmo ano, que concede o direito à cidadania portuguesa para quem conseguir provar que descende de judeus sefardistas e dá direito ao passaporte português da Comunidade Europeia. Também a Espanha aprovou em 2015 Lei de mesmo teor, que faz uma reparação às perseguições religiosas e injustiças do passado contra o povo judeu. Por solicitação de um sobralense que descende de judeus sefardistas, que pretendia obter a cidadania portuguesa com base na Lei 30-A, Assis Arruda teve de avançar no estudo até a décima-quinta geração e conseguiu provar com documentação a origem judaica do conterrâneo. Desde então, Assis Arruda já conseguiu finalizar o levantamento genealógico para mais de 30 pessoas nascidas na região do Vale do Acaraú que conseguiram provar a descendência de famílias portuguesas de judeus sefardistas e obter a cidadania portuguesa. Segundo ele, ao chegar ao conhecimento dos ancestrais de 13 ou 15 gerações, a identificação do tronco comum serve para muitas outras famílias que possuem a mesma descendência. Na sua vida de dedicação à genealogia, Assis Arruda demonstra o reconhecimento pelo exemplo do seu primo Pedro Arruda, genealogista, ao qual manifesta gratidão. Segundo ele, o auxílio recebido aos 21 anos do seu parente foi fundamental como incentivo para desenvolver o seu interesse pelo tema por anos a fim.   O conhecimento adquirido veio  lhe proporcionar uma satisfação extra de ver o benefício que seu estudo trouxe à vida das pessoas, disse ele. Mas nunca sonhava que os anos de dedicação à genealogia  lhe trouxessem recursos adicionais à sua renda como agrônomo aposentado da Embrapa, pela aplicação que tem dado a este conhecimento para naturalização portuguesa de descendentes de judeus sefardistas."É uma alegria ver que o meu trabalho agora contribui efetivamente para proporcionar à comunidade sefardita do Nordeste, até então no anonimato, um despertar para uma nova era, o sonho de regressar à Pátria Mãe", afirma Assis Arruda.  O seu tempo agora é dedicado para atender as demandas que recebe de interessados em comprovar cidadania portuguesa. Para agilizar a pesquisa e documentação dos casos, buscou parceria em Portugal. O site do Consulado de Portugal no Rio de Janeiro traz informações sobre o Decreto 30-A, que “veio consagrar a possibilidade de aquisição da nacionalidade portuguesa, por naturalização, a cidadãos estrangeiros que comprovem ser descendentes de judeus sefardita. Como é sabido, designam-se de judeus sefarditas, os judeus descendentes das antigas e tradicionais comunidades judaicas da Península Ibérica”. Em 1492 - 31 de março - os reis da Espanha Fernando e Isabel decretam a expulsão de 150 mil judeus em prazo de três meses. Expulsão ou conversão ao cristianismo. Portugal recebeu parte desta diáspora. O ano de 1497 foi a data do decreto de conversão forçada dos judeus em Portugal, pelo rei Dom Manuel I. Muitos migraram para o Brasil. Fonte: Blogger Flamínio Araripe.

CRIADO A COOPERATIVA DE CATADORES DE RECICLAGEM, MUDAS E REFLORESTAMENTO DE FORQUILHA E REGIÃO (COOCRMURF)




O Departamento de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, por meio da Secretaria, de Recursos Hídricos,Conservação e Serviços Públicos deu o primeiro passo para a implantação da coleta seletiva no município de Forquilha. Na manhã desta quinta-feira(16), foi criado a Cooperativa de Catadores,Reciclagem,Mudas e Reflorestamento de Forquilha e Região (COOCRMURF), a reunião contou com a presença de catadores, secretários, servidores municipais e diversos técnicos tais como engenheiros, administrador, geólogo, assistente social dentre outros envolvidos no projeto. De acordo com Paulo Giovani, gestor da Coordenação da Gestão Integrada de Resíduos sólidos CGIRS, a criação da Cooperativa de Catadores é o primeiro passo e também um desafio, pois requer o planejamento detalhado da aplicação de princípios, metas, diretrizes, estratégias, projetos e ações, entre outros procedimentos afins. A Prefeitura de Forquilha está empenhada em atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos. “A Coleta Seletiva é uma das premissas da lei nacional. Com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Recursos Hídricos, Conservação e Serviços Públicos SERHCOSP, estamos dando celeridade à implantação da Coleta Seletiva aqui em Forquilha, a criação da Cooperativa foi o primeiro passo. O município já conta com o cadastro de catadores e, ainda, com locais reservados para construção de galpão de triagem”, ressaltou Paulo Giovani Presidente da Cooperativa. No total, 33 catadores estão cadastrados. Através de parcerias da prefeitura municipal a Maçonaria de Forquilha disponibilizou uma sala do prédio para a Cooperativa. “Os catadores serão beneficiados com a criação da Cooperativa, amparados pela lei de resíduos sólidos, por meio da coleta seletiva. próxima semana o CNPJ da criação da Cooperativa de Catadores, Reciclagem, Mudas e Reflorestamento de Forquilha e Região (COOCRMURF) será efetivado”, comemoraram os sócios fundadores da cooperativa. Com a Cooperativa é possível conseguir recursos financeiros para a compra de máquinas, usadas para comprimir o material, Outro ponto positivo com a criação da cooperativa é a eliminação de atravessadores. Os catadores vendem o quilo do material para eles entre R$ 0,30 e R$ 0,50 centavos, estes por sua vez, comercializam a R$ 1,50. “Isso é um absurdo e deixa muitos colegas indignados por conta da desvalorização”, diz indignado o presidente da Cooperativa.  O projeto da cooperativa é uma iniciativa da prefeitura municipal de Forquilha, com apoio do atual prefeito Gerlásio Loiola presidente do Consórcio Municipal para Destinação Final de Resíduos Sólidos (COMDERES). Estas e outras no diário de notícia do Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante membro correspondente do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

terça-feira, 14 de março de 2017

PODER JUDICIÁRIO DE FORQUILHA É ELOGIADO PELO CONCEITUADO ADVOGADO DE NOSSA REPÚBLICA DR. RILDSON MAGALHÃES MARTINS

Comarca de Forquilha elogiada terça-feira, 14 de março 2017. Era de se esperar que a entrega da tutela jurisdicional passasse a ser entregue dentro de um prazo razoável, já que a sua lentidão compromete a imagem e a credibilidade do Poder Judiciário, junto a todos os segmentos da sociedade, afetando sobremaneira o labor funcional da advocacia, donde se conclui que é o cidadão/sociedade o grande afetado pela paralisia e lerdeza da maquina judiciária. Sem dúvida alguma, todos os lidadores do direito comprometidos com a Justiça pedestre, mais pronta, procuram ser mais espertos com a questão da gestão da jurisdição, já que justiça tardia é tida como sendo a própria injustiça institucionalizada, no olhar sempre atento do Rui. Temos, sim, bons juízes nas comarcas do interior, há, uma plêiade de eficientes magistrados empenhados com a boa dinamização dos feitos judiciais, trabalhando mais de 8 horas por dia, em seus gabinetes, além de levarem, costumeiramente, uma pilha de feitos judiciais para casa, com o desiderato de lá serem sentenciados, além de se integrarem a múltiplos mutirões, na Capital e no interior, visando julgar os feitos estagnados. É essa a moldura do quadro da Comarca de Forquilha, tendo à frente o jovem juiz Hugo Gutparakis de Miranda, isso não só para atender aos reclames de agilidade dos processos imposto pelo Conselho Nacional da Justiça, mas também ao seu zeloso compromisso pessoal de ser útil a jurisdição. No mês de janeiro do ano em curso, na Comarca de Forquilha, 540 processos foram objetos de analises, despachados e sentenciados, só restando conclusos menos de 70 processos, isso de um total de 1763 feitos que por lá tramitam, graças também a eficiência da Diretora de Secretaria, Dra. Ana Flavia de Aguiar e do Dr. José Inácio Fernandes, analista judiciário. A Comarca de Forquilha foi instalada no dia 08 de março de 1995, pelo saudoso Desembargador José Maria de Melo, tendo como sua primeira Juíza de Direito, a Dra. Ana Cleyde Viana, magistrada de escol que contou com todo o apoio logístico do intelectual Célio Cavalcante, com a sua Rede de radioamadores. Digna de registro, a passagem por esta comarca dos magistrados Flavio Vinicius Bastos Sousa, juiz vocacionado, de aguçado espírito republicano, estudioso, tinha excelente aproximação com todos os usuários da Justiça e com os advogados, dando ao povo de Forquilha, pois, a sensação de segurança, assim como do Dr. Aldenor Sombra de Oliveira, de bom manejo com os autos processuais, um bom magistrado. Por Rildson Martins Professor da UEVA. Estas e outras no diario de notícia do Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante membro correspondente do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.