quarta-feira, 4 de maio de 2016

O POVOAMENTO DA VÁRZEA DA COBRA E DOS SEUS CINCO SATÉLITES

MATÉRIA HISTÓRICA DO PROFESSOR RAIMUNDO XIMENES LOPES
Francisco Lopes Teixeira Filho casado com sua prima Maria Carolina Martins Viana. Ambos eram sobrinhos do Padre Mororó.  Francisco Lopes, situou a então Fazenda Várzea da Cobra; por volta do ano de 1812. Este casal gerou os seguintes filhos: Antônio, Maria, João, José, Gertrudes, Inácio, Justiniano, Félix e Raimundo (o Mundola).  As seis comunidades são: Várzea da Cobra, Arrebita, Sereno, Junco, Barro Vermelho e Várzea Comprida. Os moradores destas comunidades são todos parentes muito próximos uns dos outros; com raras exceções. Formam uma só família. Podemos denominá-las de Comunidades Unidas pelos Laços Familiares. Ocupam uma pequena área no sudoeste do município de Forquilha. O Arrebita é a comunidade mais antiga de todas; foi localizado pelo Português Antônio Martins Viana, em 1776, era sogro do Francisco Lopes Teixeira Filho. Até 1947 o Arrebita liderou as outras comunidades. Mas ao longo do tempo, a população do Arrebita foi diminuindo e a da Várzea da Cobra foi aumentando. Atualmente a Várzea da Cobra está na liderança.  A família Lopes Teixeira, misturou-se com outras famílias principalmente com os: Alves Pereira-Loiola, Matos, Ximenes de Aragão, Melo e Siqueira. Eis o processo do povoamento. Justiniano Lopes Teixeira, casado com Maria Torquato Aragão, situou o Junco, em 1864. Maria Carolina Lopes Teixeira, casada com Cesário Alves Pereira, situaram o Sereno em 1855.  Justino Torquato Aragão, situou o Barro Vermelho em 1843. Sendo o povoamento continuado pelo seu genro Raimundo Lopes Teixeira (o Mundola). Casado com Raimunda Torquato Aragão.  Um neto do Francisco Lopes Teixeira Filho. De nome Manoel Lopes de Sousa Oliveira Catunda, casado com Raquel Alves Dias Lopes, situou a Várzea Comprida, por volta do ano de 1890. Fonte da Matéria do facebook do Professor RAIMUNDO XIMENES LOPES- https://www.facebook.com/raimundo.ximenes.5?fref=nf - Estas e outras no diario de notícia do Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante Mendes Cavalcante membro correspondente da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

terça-feira, 3 de maio de 2016

BREVE EM FORQUILHA O LONGA-METRAGEM O ANDARILHO POLÍTICO










O Município de Forquilha, conta hoje com alguns lançamentos cinematográfico no Distrito de Salgado dos Mendes. Em breve é a vez de sua Sede e do Distrito de São Lourenço que vai lançar um filme o Andarilho Político que tem como figurante principal o Prefeito de Jacobina Meio Mundo e sua primeira Dama Foquinha. Também figura na filmagem o Diretor Antonio Eudson um verdadeiro propagador de nossa cultura popular, que tem arregimentado os preceitos humanísticos deixado pelos seus ancestrais. Meio Mundo com é conhecido 66 anos o cheiroso das mulheres já realizou 62 viagem aos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Seu maior sonho é ver lançado esse filme que conta também um pouco de sua trajetória no mundo de suas viagens. Seu apelido Meio Mundo foi batizado pelo seu padrinho de vela Jerônimo Prado, sendo que sua Avó Patriolina pediu para ele não aceitar, pois Meio Mundo era um Cão que andava no meio dos canecos dos animais e não parava em casa. No entanto Meio Mundo está cumprindo com seu destino, pois seu apelido pegou, mas seu verdadeiro nome é Francisco Jerônimo Prado filho de Raimundo Jerônimo Prado e Gerarda Menezes do Prado ambos em (In memoriam). Nosso andarino Meio Mundo já foi junto com 30 mulheres ele confessa que tinha uma delas que era tão preguiçosa de um jeito que os pratos que ela comia no almoço na 2º feira no sábado ainda permanência sujo, mas mesmo assim Meio Mundo diz que ele é como trem carrega todo mundo sem gostar de ninguém. Se você gosta da Cultura Popular procure ajudar nosso Meio Mundo a realizar este sonho. Por Célio Cavalcante (Guardião da Arqueologia Cearense).

terça-feira, 26 de abril de 2016

DNOCS PARTICIPA DE REUNIÃO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO DO PROGRAMA ÁGUA DOCE

O DNOCS participou nos dias 14 e 15 de abril, da primeira reunião de acompanhamento da execução do Programa Água Doce no ano de 2016. Dentro da diversificada programação foram proferidas palestras sobre o estágio atual da execução dos convênios do Programa Água Doce - PAD nos nove estados do Nordeste, e com tema no sistema de informação do Programa Água Doce e sistemas de dessalinização por Osmose Inversa – do poço ao dessalinizador. O servidor Alexandre Moura lotado na Coordenadoria Estadual do DNOCS, em Pernambuco, fez apresentação sobre a síntese da atualização das orientações técnicas do PAD, com foco no destino adequado do concentrado. Houve ainda visita à Comunidade Mandassaia II, no município de Riachão de Jacuípe – BA para o Ato de Entrega do sistema de dessalinização implantado pelo Programa Água Doce na Comunidade baiana. O encontro contou com a presença dos servidores Emanuel Messias Pinto Santos, da CEST-Sergipe; da CEST-Bahia, Manoel Ferreira Canários Junior, José Francisco de Oliveira e Maria de Fátima Santos Correia Bispo. O Governo do Estado da Bahia e o Ministério do Meio Ambiente ficaram interessados na eventual possibilidade de reativação do Laboratório de Águas e Solo da Coordenadoria da Bahia pela potencialidade que este representa para os trabalhos relativos à qualidade das águas. Fonte: Divisão de Comunicação Social do DNOCS. Estas e outras no diário de notícia do servidor do DNOCS Célio Cavalcante membro correspondente do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

terça-feira, 19 de abril de 2016

COMO FORMAR UM ARQUEÓLOGO NA PARAÍBA POR ERIK BRITO PRESIDENTE DA SOCIEDADE PARAIBANA DE ARQUEOLOGIA-SPA.

O BRASIL É UM DOS PAÍSES ricos em cultura material, por onde se anda neste imenso país é possível perceber uma extrema diversidade de vestígios matérias, tanto históricos quanto pré-históricos, diversidade essa que é lentamente esquecida e abandonada por sua população e administradores. Felizmente, ainda existem alguns “loucos” que veem importância no salvamento e registro dessas memórias físicas de culturas passadas, são, geralmente, historiadores, geógrafos, biólogos, antropólogos e até médicos ou simples curiosos, todos utilizando de seus conhecimentos e habilidades particulares para estudar e preservar o passado a partir de sua cultura material. Mas quando você resolve levar essa “loucura” a um patamar mais avançado, objetiva ser um arqueólogo, o que fazer? Há fontes que informam que abrirá mais um curso de graduação (bacharelado) em arqueologia, dessa vez na Unimes (universidade particular), será o primeiro curso de arqueologia do estado de São Paulo e terá sua primeira turma em 2016. No Brasil, de forma geral, existem quatorze universidades que disponibilizam cursos de graduação em arqueologia. No entanto, apenas onze oferecem o título de arqueólogo: UFS (Laranjeiras – SE), FURG (Rio Grande - RS), PUC GO (Goiânia – GO), UFPI (Teresina – PI), UNIR (Porto Velho – RO), UFOPA (Santarém – PA), UFPE (Recife - PE), UERJ (Rio de Janeiro – RJ), UEA (Manaus – AM), UNEB (Paulo Afonso – BA) e a Unimes (Santos SP). Todos esses cursos são relativamente novos, foram criados a partir de 2005 e dentre os mais bem avaliados pelo MEC, a UFS possui a maior nota. Outras universidades fazem planos para obterem o curso, mas ainda não efetivaram: UFMA, UFCA, UNESP e USP. Em relação ao mestrado e doutorado o número de universidades é menor: USP, UFS, UFRJ e UFPE dispõem de ambas pós-graduações, enquanto a UFPI disponibiliza apenas de mestrado. Outras universidades possuem cursos de antropologia com concentração e habilitação em arqueologia, tanto para a graduação quanto para o mestrado e doutorado: UFMG, UFPA e UFPEL. Entre os estados da Federação, a Paraíba é um dos que mais possui sítios arqueológicos registrados e também universidades públicas, são quatro, com campus espalhados por todo o estado. Entretanto, nenhuma delas possui qualquer direcionamento voltado para a arqueologia, mesmo sendo a Paraíba a terra da internacionalmente afamada Pedra do Ingá, além de mais de 600 sítios arqueológicos pré- históricos já identificados, entre inscrições rupestres, campos líticos, vestígios cerâmicos, cemitérios ameríndios e “chãos de terras pretas” de antigos aldeamentos. Desse modo, os paraibanos que desejam assumir alguma qualificação acadêmica direcionada ao campo se vêem na obrigação de migrar para outros estados, especialmente Pernambuco e Sergipe, pela maior acessibilidade, ou, na pior das hipóteses, desistir. A questão é que a inviabilidade de se estudar em outro estado, para muitos, desestimula o anseio, nos reportando para o título desse texto em forma de indagação. Fonte no Boletim Informativo da SPA-
http://mhn.uepb.edu.br/Boletins/Boletim_117_DEZ_2015.pdf
Estas e outras no diário de notícia do correspondente da Sociedade Paraibana de Arqueologia-SPA Célio Cavalcante Pesquisador da Pré-história.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

3° EDIÇÃO DO FESTIVAL DE CINEMA DE FORQUILHA

RESULTADO OFICIAL:
Melhor Filme:
FEAR - FORQUILHA

Pela construção de uma proposta de suspense partindo de um universo minimalista, trabalhando
a construção do medo pelo extracampo narrativo de uma forma envolvente e segura.

Melhor Direção
Gustavo Souza - Fear - FORQUILHA

Pela segurança na construção dos elementos de cena, e pela condução no enquadramento dos personagens 
no espaço, apostando na visualidade precária do registro à favor de uma experiência sensorial do medo de forma não convencional.

Melhor ator:
JOSAFÁ FERREIRA DUARTE - Oligarquias - FORQUILHA 
Pela versatilidade interpretativa de dar vida a duas personagens complexas e completamente distintas em um mesmo filme.

Melhor atriz:
LARA MELO - GROAÍRAS 
Personagem Marly (O Verdadeiro Palhaço - O que não se vê por trás da maquiagem)

Pela segurança e presença interpretativa da atriz sobre o gestual de uma personagem discreta, porém marcante.
Melhor fotografia:
Marcos Mendes 
- A Escuridão e a Luz Divina - UMIRIM
Pela coerência entre fotografia e narrrativa, resultando numa precisão técnica com a proposta estético-narrativa do filme.

Melhor edição:
Ronaldo Rogers, Augusto César, Ernandes Bernardo, Rozalvo Barbosa - (A Loira do Cemitério) - MERUOCA

Pela precisão no uso de estratégias de montagem que conduz o espectador ao horror proposto no filme.
Melhor Filme Popular:
Caminho Obscuro - 
Aureliano Shekinah - FORQUILHA

Melhor Filme Escolar
Futuro Pretérito - Gilvan

-------------------------------------------------------
MENÇÕES HONROSAS
- OLIGARQUIAS (Josafá Ferreira Duarte)
Pelo afrontamento e coragem no debate de idéias que resgatam temas contemporâneos urgentes e atuais na sociedade.
Pela obra que busca a recepção crítica do público frente à sua condição de oprimido propondo novas formas de organização política e social mais justas e humanitárias.

- A REVOLTA DA NATUREZA (Antoniel)

Pela apresentação de um tema relevante que pousa sobre a preservação do meio-ambiente em uma região que se vê dia-a-dia degradada pela exploração do poder econômico, e pela prova de que é possível fazer cinema ultrapassando qualquer tipo de obstáculo.  Ronaldo Roger - Queria agradecer a todos que contribuíram com o III Festival de cinema de Forquilha e peço desculpas por alguma falha. Tentamos fazer o melhor pra todos os realizadores e expectadores da região. Agradeço aos Realizadores de GROAÍRAS, MERUOCA, FORQUILHA , LISIEUX (SANTA QUITÉRIA ), UMIRIM, enfim a todos que contribuíram. Fonte no site abaixo: https://www.facebook.com/roger.ribeiro.10420?fref=ufi&pnref=story  - Estas e outras no diário de notícia do Radioamador e Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante membro correspondente da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

INTERCÂMBIO CULTURAL ENTRE MAÇOM E RADIOAMADOR

O Delegado do 4º Distrito Maçônico da GLMECE o Grande Inspetor Geral do Grau 33 da Maçonaria para a República Federativa do Brasil Irmão Célio Cavalcante recebeu das mãos do Ilustre Irmão Jucival Júnior o Livro “VIVENDO, APRENDENDO E MORRENDO SEM SABER” de autoria do Maçom e Radioamador Irmão Antônio Carlos Aguiar aonde em Brasília é Presidente da Associação dos Que Querem Bem a Sobral- AQQB SOBRALDF. Na retribuição a obra literária o Grande Delegado Célio Cavalcante membro voluntários do Projeto Radioamador Amigo do Exército-RAEB, repassou ao Irmão Jucival Júnior radioamador PT7AR o DIPLOMA DUQUE DE CAXIAS da LABRE-PI pelos relevantes serviços prestado a filantropia universal. Estas e outras no diário de notícia do radioamador Célio Cavalcante PT7ACZ membro correspondente do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.