terça-feira, 28 de julho de 2015

UMA ESTAÇÃO DE RADIOAMADOR LIGA NORONHA AO MUNDO ATRAVÉS DO PY0FF ANDRÉ CAVALCANTE SAMPAIO

 “SOS DE NORONHA PARA O MAR”
Um pequeno país oceânico. Noronha é assim para o mundo do radioamadorismo - independente do Brasil. O empresário André Cavalcante Sampaio, 53, é uma espécie de embaixador informal e, de certa forma, virtual da ilha. A bordo de uma sofisticada estação de radioamador, ele faz contatos com outros 340 países e é importante suporte de navegadores no trecho Atlântico Sul. Pela localização privilegiada e potência dos equipamentos, a estação de Sampaio, em operação conjunta com a Marinha do Brasil, socorre navios e embarcações em perigo, além de participar de buscas no mar. ''A ocorrência mais comum é a orientação a barcos estrangeiros'', explica. Como o maior navio do mundo, um petroleiro norueguês cruzando o Atlântico a caminho do Golfo Pérsico. ''O comandante não sabia como se aproximar da ilha e nem eu sabia que o navio era maior que um porta-aviões'', conta. Segundo Sampaio, de tão grande e pesado, o navio não ficou, como qualquer outro, a apenas duas milhas da praia, mas a sete milhas. ''Só para se ter uma idéia da distância, o barco de resgate levou uma hora para chegar até o ponto'', diz. Mas o primeiro resgate da estação foi em 1987. Do avião Hércules que caiu no mar com 23 pessoas e a mudança de André Sampaio, junto com os equipamentos que ele trazia para a ilha. Até o início da década de 80, o abastecimento de querosene, gasolina, óleo diesel, alimentação, material de construção e até veículos para a ilha - inclusive o cloro para tornar potável a água doce - era feito através de corvetas da Marinha do Brasil. Mas um acidente levou para o fundo do mar a corveta Ipiranga (1983) e o episódio acelerou a substituição do transporte marítimo pelo aéreo. Em cena, então, os famosos Hércules, um quadrimotor norte-americano que teve uma participação decisiva na guerra no Vietnã (anos 60 e início dos anos 70), pousando em pistas esburacadas ou como canhoneira aérea. Apelidado pela população de Noronha de ''Patinha'', este avião trazia para a ilha funcionários e material da construtora Queiroz Galvão, que realizava obras na ilha. Já pronto para pousar no arquipélago, o C-130 mergulhou no mar. ''Provavelmente, falha humana, uma desorientação do piloto ou ilusão de ótica, quem sabe'', diz Sampaio. Pela sua posição geográfica e sua origem vulcânica, Noronha tem uma longa história de acidentes, naufrágios, quedas de avião. Os acidentes mais comuns são com barcos de pesca. Dia e noite, lá está André, em plantões sem interrupção, durante as operações de salvamento. Sendo assim, na pequena sala da estação, cama e estrutura de reserva. Necessários, por exemplo, quando ele teve que se comunicar, a cada duas horas, com um veleiro belga que quebrou o mastro a 300 milhas do rochedo de São Pedro e São Paulo, a 600 milhas de Noronha. ''O combustível acabou e o barco ficou à deriva. A Marinha do Brasil não conseguia comunicação, mas eu consegui fazer a ponte e ajudar nas buscas. Após três dias, a tripulação foi salva'', diz. No mar aberto, também no espaço. ''Já falei com várias naves espaciais em órbita. Na listas, a russa MIR e as americanas Columbia e Atlantis - a primeira explodiu no início deste ano. Em geral, brevíssimas conversas com os astronautas. ''São saudações e comprimentos pela missão'', diz André. Segundo ele, os contatos longínquos da estação de Noronha tornaram-no conhecido no mundo. ''Tenho, em meus arquivos, uma coleção do troféu mais cobiçado pelos radioamadores. Cartões QSL (código que significa confirmação) que confirmam a comunicação com outras estações e localidades'', diz o bicampeão de contatos numa espécie de copa do mundo dos radioamadores. (Ariadne Araújo). Fonte: Jornal O Povo.  Estas e outras no diário de notícia do Pesquisador da Pré-história e Radioamador Célio Cavalcante membro da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

JORNAL CORREIO DA SEMANA PRESTA HOMENAGEM AO MÉDICO INDUSTRIAL E AGROPECUARISTA DR. ADAUTO ARAÚJO

COLUNA JORNALÍSTICA "CANTINHO DA SAUDADE" DE THIAGO ALVES
No próximo mês a família Araújo e amigos estarão reunidos para celebrar o Centenário de Nascimento do Dr. Adauto Araújo. O médico homenageado, que fez história tanto na ginecologia como na agropecuária da região, deixou ilustrada prole. Conheça, abaixo, um pouco da sua história. Joaquim Adauto Araújo nasceu em Santana do Acaraú (CE) no dia 3 de agosto de 1915, sendo filho de João Alfredo Araújo e Maria Eutália Araújo Marques. Depois de aprender as primeiras letras em sua terra natal, aos nove anos foi estudar em Fortaleza, no Colégio Cearense, como interno. Lá permaneceu de 1925 a 1931. Em 1932 seguiu para o Rio de Janeiro (RJ), onde ingressou na Faculdade de Ciências Médicas do RJ em 1932. Diplomou-se em 09.12.1937, especializando-se em Ginecologia. Logo após formar-se adquiriu em Fortaleza, sob a forma de empréstimo com pagamento parcelado, seu consultório, cujos equipamentos foram transportados para Sobral. Imediatamente o novo médico deu início a uma jornada de atendimento a parturientes que durou décadas, chegando, em alguns casos fora de Sobral, a necessitar até usar a força física, ou até arma de fogo, para realizar seu trabalho.  Caso da espécie é narrado pelo filho Francisco Régis Frota, no livro Joaquim Adauto Araújo - O médico e o Homem. Em 07 de dezembro de 1940, na capela do Colégio Santana de Sobral, Mons. Domingo Araújo oficiou seu casamento com Maria Ivone Frota, filha de José Mendes Carneiro e Lucília Frota Mendes e prima do noivo. Ivone vivia como filha adotiva de seu avô Estanislau Lúcio Carneiro da Frota. O casal Ivone e Adauto gerou treze filhos – quatro mulheres e nove homens. São eles: Rosa Maria (pedagoga), casada com Dr. José Edward Dias; João Alfredo (médico), com Lídia Maria Vidal de Araújo; Geísa Maria, casada com Tarcísio Dias; Adauto Filho (Engenheiro Civil), com Silvia Helena M. F. Araújo; José Cid (Engenheiro Civil), com Elza Maria Rabelo Araújo; Francisco Régis (economista e advogado), com Aurila Maria Carneiro Araújo; Célio (bancário), com Maria do Amparo Silveira Araújo; Edson (Engenheiro Civil); Marcos Lúcio (Cel. do Exército - Reserva), casada com Evanda Arruda Araújo; Maria Divone (administradora de empresas), viúva de Francisco Dnalro G. Abreu; Márcio (agropecuarista); Ney (agropecuarista e empresário); Lucília (empresária), casada com Adilson Carlos Tavares Kataoka. Os filhos moram em Fortaleza com dona Ivone, já aos 94 anos. Em Sobral, durante muitos anos clinicou e ajudou gestantes no nascimento de muitos cearenses. Além disso, estendeu sua atuação a várias cidades da região norte. Em 1959, Dr. Adauto Araújo decidiu abandonar gradativamente a medicina. Permaneceu atendendo apenas pacientes tradicionais e amigas.  Na área da ginecologia e da obstetrícia fez história nas décadas de 1940 e 1950. Dono de várias fazendas na região, passou a dedicar-se mais à agropecuária e às suas propriedades. Dentre suas propriedades podemos citar as fazendas Bahia, Raposa, Pitombeira, Andreza, Paraná, Água Branca, localizadas em vários municípios, como Santana do Acaraú, Forquilha, Santa Quitéria. Simultaneamente a isso, também passou a acompanhar mais de perto a Usina Irmãos Araújo & Cia. Ltda., que possuía em sociedade com seus irmãos Walter e Cláudio Araújo. A empresa, que teve início em Santana do Acaraú, depois transferida para Sobral, localizava-se na margem esquerda do rio Acaraú. A usina dos Araújos, como ficou conhecida, era especializada no beneficiamento de algodão e extração de óleo e funcionou da década de 1950 até 1990. Como homem de temperamento forte, Dr. Adauto Araújo também teve de enfrentar várias disputados judiciais. A maioria envolvia questões de terras com proprietários vizinhos e até com parentes seus. Isso o fez tornar-se conhecedor de muitas leis, bem como do trâmite dessas. Em seu livro, Dr. Régis Frota afirma que, diferentemente dos colegas médicos, seu pai, Dr. Adauto Araújo, “nunca conseguiu exercer um emprego público no sistema de saúde sobralense, em virtude das perseguições políticas do deputado Chico Monte”. Por conta disso, o ginecologista e obstetra encontrou barreiras quase intransponíveis no exercício de sua profissão médica, mas conseguiu sobreviver por longo tempo unicamente de suas consultas particulares e habilidades de consultório. Como agropecuarista, Dr. Adauto recebeu vários prêmios, com destaque para o de maior produtor de algodão da Zona Norte do Estado do Ceará (1959). O algodão produzido em suas fazendas alimentou por vários anos a usina de propriedade da família. Na área intelectual, Dr. Adauto Araújo pertenceu à Academia Sobralense de Estudos e Letras. Ocupou a Cadeira nº 1, sendo sucedido pelo Prof. Evaristo Linhares Lima (falecido), atualmente ocupada pelo Desembargador Ademar Mendes Bezerra. Em 1988 um Acidente Vascular Cerebral (AVC) deixou várias seqüelas que mudaram radicalmente a rotina do médico. Dr. Adauto Araújo ficou impedido de continuar levando a vida de atuante agropecuarista como levava até então. A doença também motivou a transferência definitiva de sua residência para Fortaleza. Piorando-lhe a saúde, em 1991 teve de se submeter a uma delicada cirurgia cardíaca. Mas não surtiu o efeito necessário e desejado. Dr. Joaquim Adauto Araújo veio a falecer na capital cearense, aos 76 anos, na madrugada de 12 de abril de 1992 (Domingo de Ramos). Está sepultada no cemitério Parque da Paz daquela cidade. Fonte: http://www.jornalcorreiodasemana.com/css/index.php/cantinho-da-saudade/4476-cantinho-da-saudade - Estas e outras no diário de notícia do Pesquisador da Pré-história e Radioamador Célio Cavalcante membro correspondente da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.  

domingo, 26 de julho de 2015

ANIVERSÁRIO DOS 50 ANOS DE IDADE DO FOTÓGRAFO MADEIRA MENDES NO BAR PONTO G NO TRAPIÁ TEVE ANIMAÇÃO DO FORRÓ JÓIA RARA

Aconteceu neste último sábado 25 de julho de 2015, o aniversário dos 50 anos do amigo fotógrafo Madeira Mendes no Distrito do Trapiá em Forquilha sendo festejado no Bar Ponto G que acolheu seus familiares e convidados. O vespertino foi animado pelo Forró Jóia Rara sobre o talento musical da cantora Telma Melo e do tecladista Marcondi que animaram o ambiente social. Compareceram as seguintes autoridades:Prefeito Municipal de Forquilha Dr. Gerlásio Loiola que se fazia acompanhar com sua esposa do Vice-prefeito Régis Prado e da Vereadora Jane Maria Lopes Rodrigues. Empresários comerciais: Boris, Gilda Aragão e esposo Antonio Mesquita. Do técnico em prótese dentária Josivaldo Marinho e sua filha Sara Marinho. Professor Cleber Gomes que estava acompanhado dos seus primos da ilustre família Gomes. Do Jornalista e Radialista Pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante que se fazia acompanhar do Venerável da Loja Maçônica Segredo e Força da Acácia de Forquilha José Milton de Oliveira. Dos funcionários estaduais: Dr. Nobio Prado (Cagece), José Roberto (Cogerhe), entre outros convidados do aniversariante. O Genitor do aniversariante Pachico Madeira estava muito feliz ao lodo dos seus filhos Maria Deiz e Bibiu e da esposa do amigo Madeira Birna Albuquerque que testemunharam os seus parabéns no  sopra da vela com gratidão e pra frente com a fé em Deus e Maria Santíssima que lhe fezeram coroar dos seus 50 anos de vida!  Estas e outras no diário de notícia do Pesquisador da Pré-história e Radioamador Célio Cavalcante membro correspondente da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

PREFEITO GERLÁSIO LOIOLA INAUGURA AMPLIAÇÃO DA UNIDADE DE SAÚDE ANTERO MENDES NO DISTRITO DO SALGADO DO MENDES EM FORQUILHA

O Prefeito do município de Forquilha Dr. Gerlásio Martins de Loiola e Vice-Prefeito Francisco Régis Martins Prado e a Secretária de Saúde Margarida Maria Félix Albuquerque Prado inauguram a ampliação da Unidade de Saúde Antero Mendes  no Distrito de Salgado do Mendes em Forquilha nesta última sexta feira 24 de julho de 2015. A Solenidade foi laureada das presenças dos familiares do líder comunitário Antero Mendes (In memoriam), da digníssima esposa Maria Mendes que se fazia acompanha dos filhos Chico Mendes, Gilberto, Salete entre netos bisnetos e amigos do homenageado que já tinha também recebido seu reconhecimento pela Prefeitura Municipal de Sobral na gestão do Prefeito Jerônimo Medeiros Prado quando inaugurou no dia 04 de outubro de 1970 dando o nome ao Colégio Antero Mendes para aquela comunidade salgadense, mostrando uma prova íntegra do seu legado de liderança no velho Distrito de Salgado dos Mendes. Após o corte da fita e da placa inaugural houve a entrega de uma cadeira de rodas e utensílios hospitalares para aquela comunidade salgadense.  Foi brilhante o acordo mútuo dos representantes do Poder Legislativo através dos Vereadores: Carlos Wagner Cavalcante Araújo (Pres. da Câmara), Glaia Ribeiro, Jane Lopes, Roque Filho, Antonio do Sindicato entre outros edis que  estavam ausente na solenidade.  O líder político Raimundo Azevedo Prado se fez presente acompanhado dos Ex-vereadores: Evaldo Frota, Raimundo Domingos, Raimundo Lira alem dos casais: Inês e Carlos, José Amaro e Ana, Gleydson Loiola e esposa Dra. Patrícia Barreto.  Do cineasta Josafá Duarte e esposa Maria Noélia que repassaram uma “Revista Plenária” da Assembléia Legislativa do Ceará que traz uma reportagem sobre o Cinema produzido no Distrito de Salgado dos Mendes tornado a capital do Cinecordel. Dos secretários municipais:  Infra-estrutura José Ilário e esposa Evaneide, Turismo Josias Marques e esposa, Esporte Carlos Eduardo, Finanças Valdir Loiola e esposa, Comunicação Rômulo Dias entre outros. A imprensa falada e escrita estava presente nas pessoas: Célio Cavalcante e V. Lima da Forquilha FM 98.7 MHz.  Rádio Pioneira de Forquilha AM 830 kHz, Júnior Costa, Esquerdinha, Alan Lima, Leonardo Ferreira, Cristiano Madeira entre outros profissionais radialistas que registram com suas gravações as entrevistas mostrando a fantástica solenidade para o bem da saúde pública do nosso município. O Cmt. do 3º BPM Ten.Cel/QOPM Carvalho Moura se fez presente com seu oficiais e praças dando total cobertura de Segurança Público ao evento inaugural e os festejos do Padroeiro do Distrito de Salgado do Mendes “São Joaquim e Santana” sendo finalizado a noite da novena seguido de uma demonstração de uma quadrilha junina. A paz e bons costumes reinaram nos corações daquela comunidade hospitaleira. Por Célio Cavalcante membro correspondente da ACEJI e do Jornal Circular da cidade de Sobral-Ceará.