terça-feira, 23 de abril de 2013

LEMBRANÇA INESQUECÍVEL AS MARGEM DO SANGRADOURO DO AÇUDE DE FORQUILHA

Era o dia 21 de abril do ano de 2009, quando se encontravam contagiados ainda das alegrias da sangria do Açude público de Forquilha os forquilhense: Euclides Arruda Cavalcante (Boca Rica); Amarildo do Zé Ramos; Carlos Almeida (Paulo Nunes In memoriam) e Zé Ribeiro. Estes aproveitaram para saborear aquele milho verde assado e eu como pesquisador da Pré-história e repórter social aproveitei para fotografa meus amigos que num gesto de contentamento daquele ano vai ser contagiou nas páginas deste meio de comunicação que utilizo para propagar os fatos pitorescos de minha amada Forquilha com responsabilidade. Por Célio Cavalcante pesquisador da Pré-história, correspondente da ACEJI e do Jornal O Circular da cidade de Sobral-Ceará.

Um comentário:

  1. Primo Célio Cavalcante, obgd!!! Pelo carinho com meu pai...
    Abrçaos!!!!!

    ResponderExcluir